Mi Buenos Aires Querido
Adiós IVA! Hotéis da Argentina agora são tax free

Adiós IVA! Hotéis da Argentina agora são tax free

hotel argentina iva


Desde 2 de janeiro de 2017, hospedar-se em Buenos Aires ou em qualquer outra cidade da Argentina ficou mais barato para turistas internacionais.

Os estrangeiros agora têm direito à devolução total do imposto ao valor agregado (IVA) cobrado por hotéis e outros tipos de alojamento em todo o país. Na prática, isso equivale a um abatimento da taxa de 21% que vem embutida na fatura. A principal condição é que o pagamento seja feito no cartão ou via transferência bancária.

A medida foi implementada por um decreto emitido conjuntamente pelo Ministério do Turismo e pela AFIP (a Receita Federal argentina). Com isso, o governo visa incentivar um maior fluxo de visitantes internacionais, aumentar a entrada de divisas e gerar novos postos de trabalho.

O mecanismo de reembolso argentino é similar aos existentes na Colômbia e no Equador. Por outro lado, países como México, Peru, Chile e Uruguai aplicam uma isenção fiscal direta.

Como funciona A devolução do imposto?

O decreto prevê um reembolso automático do IVA no momento de fechar a conta no hotel ou ao realizar o pagamento através de agências de viagens.

Os requisitos para o turista são:

  • Comprovar sua condição de estrangeiro não residente mediante apresentação de passaporte ou carteira de identidade válidos. Também pode ser solicitado algum documento imigratório que comprove que está como turista no país.
  • Pagar pelos serviços de alojamento com um cartão de crédito ou débito emitido fora da Argentina ou via transferência bancária internacional.

É importante levar em consideração que sites de reserva normalmente não incluem no preço a taxa de 21% de IVA (o Booking, por exemplo, esclarece para cada hotel se o imposto está ou não incluso, apesar de que aparece como ISS em vez de IVA). Portanto, cumprindo os requisitos acima, o valor da diária indicado no site deveria ser o valor final. Caso o imposto apareça indevidamente na conta, o hotel tem a obrigação de estorná-lo.

Em que casos não DEVERIA OCORRER a devolução do imposto?

O reembolso do IVA de alojamento a estrangeiros não é válido para:

  • Pagamentos feitos em dinheiro vivo.
  • Despesas extras como refeições, frigobar, spa e outros serviços prestados pelos hotéis. Somente estão inclusos a hospedagem e o café da manhã, caso seja parte do valor da diária.
  • Aluguéis de apartamentos de temporada, como o Airbnb, já que esse tipo de serviço normalmente não retém IVA na Argentina.
O sistema tax free para compras na Argentina foi modificado?

Não, permanece o mesmo. Vale lembrar que o Tax Free para mercadorias permite a devolução do IVA em compras superiores a 70 pesos de produtos fabricados na Argentina que tenham sido adquiridos em comércios aderidos ao sistema.

O processo para cobrar a devolução do IVA de produtos é mais burocrático que o dos hotéis, já que requer:

  • Solicitar e preencher um formulário de reembolso em cada loja aderida.
  • Apresentar os formulários nas cabines Global Refund Tax Free dos aeroportos ou do terminal de barcos Buquebus ao sair do país, junto com as respectivas notas fiscais.

Reserve seu hotel em Buenos Aires

Usando o buscador abaixo, compare o preço da estadia em diferentes sites de reserva para escolher a melhor oferta! Filtros por tipo de alojamento, bairro, entre outros.


Compartilhe!


Conte sua experiência nos comentários caso você planeje se hospedar ou já tenha se hospedado na Argentina este ano!

Uber em Buenos Aires: vale a pena?

Uber em Buenos Aires: vale a pena?

Uber Buenos Aires 2017


Depois de muita expectativa, o aplicativo Uber foi lançado em Buenos Aires em abril de 2016, gerando grande polêmica como em todas as cidades do mundo onde foi desembarcando.

No caso da capital argentina, o novo sistema acertou em cheio um setor tradicional e bem estabelecido como o dos táxis. Os taxistas locais devem cumprir com diversas regulamentações, e em troca possuem uma série de benefícios como atualização frequente das tarifas por decreto, adicional de 20% na bandeira 2, adicional se o veículo for pedido com antecedência por rádio táxi, pagamento quase sempre com dinheiro vivo, além de relativamente baixas exigências em relação ao padrão dos veículos.

Poucos dias depois do lançamento do Uber em Buenos Aires, a justiça da cidade decretou que o aplicativo infringia as regulamentações locais e ordenou o bloqueio de pagamentos com cartões de crédito emitidos na Argentina. Atualmente, as opções para os usuários que não possuem cartão internacional são cartões virtuais pré-pagos como EntroPay e Payoneer ou, caso a versão do aplicativo permita, pagamentos em dinheiro (“efectivo”).

Enquanto a situação do Uber em Buenos Aires continuar sendo irregular, a recomendação para turistas e locais é viajar no assento da frente para evitar problemas com os taxistas. Pelo mesmo motivo, alguns motoristas do Uber preferem evitar ir ao aeroporto de Ezeiza.

Levando os diferentes aspectos em consideração, os principais pontos a favor do Uber são: praticidade para solicitar o serviço através do aplicativo, identificação do motorista, seguimento do trajeto via GPS, pagamento no cartão, além de carros mais novos que a média dos táxis (mesmo considerando que o Uber portenho só está disponível em sua versão mais básica, o Uber X). Em relação a preços, o Uber é normalmente mais barato do que os táxis, embora os valores possam variar bastante já que a tarifa final depende do tempo e da distância reais de deslocamento, além da demanda no momento específico em que o veículo for solicitado.

Dentre as alternativas que contam com aprovação governamental encontram-se a espanhola Cabify, um serviço similar ao Uber mas que só utiliza motoristas profissionais e possui tarifa predeterminada, e também a brasileira Easy Taxi, cujo aplicativo permite solicitar táxis comuns. Por outro lado, a prefeitura de Buenos Aires lançou no começo de 2017 um aplicativo oficial chamado BA Taxi, por enquanto disponível somente em sistema Android.

Uber em Buenos Aires: Comparação com outros serviços

Características básicas
ServiçoSituação legalMotoristasSegurança
TáxiRegulamentadoProfissionaisCarros padronizados
RemisRegulamentadoProfissionaisContratação por agências autorizadas
UberNão regulamentadoProfissionais e particularesDados do motorista no aplicativo
CabifyRegulamentadoProfissionaisDados do motorista no aplicativo
Easy TaxiRegulamentadoProfissionaisCarros padronizados e dados do motorista no aplicativo
BA TaxiOficialProfissionaisCarros padronizados e dados do motorista no aplicativo
Tarifas e formas de pagamento
ServiçoTarifaAdicionaisPagamentoReservas
TáxiTaxímetro*Bandeira 2 noturna* e adicional por rádio táxiDinheiro (alguns poucos aceitam cartões)Sim, via rádio táxi
RemisPredeterminada com base na distânciaNãoDinheiro (alguns poucos aceitam cartões)Sim
UberVariável com base no tempo e na distância reais da viagemTarifa dinâmica dependendo da demandaCartão de crédito internacional, Paypal, dinheiro (caso a versão do aplicativo permitir)Sim, mas só em alguns bairros
CabifyPredeterminada com base na distânciaNãoCartão de crédito nacional ou internacional, PaypalSim
Easy TaxiTaxímetro*NãoDinheiro (alguns poucos aceitam cartões)Não
BA TaxiTaxímetro*NãoDinheiro, cartão de crédito nacional ou internacionalNão

* Confira as tarifas vigentes de bandeira 1. A bandeira 2 vai de 10 da noite às 6 da manhã e corresponde a um adicional de 20%.


Compartilhe!


Se você já tiver viajado com algum desses serviços em Buenos Aires, conte a sua experiência nos comentários!

Zoo de Buenos Aires vira ecoparque

Zoo de Buenos Aires vira ecoparque

zoo de buenos aires 2017


Em junho de 2016, o governo portenho interrompeu a concessão privada do Zoo de Buenos Aires, estatizando a área de 18 hectares localizada no coração do bairro de Palermo. O objetivo foi iniciar um processo de transformação do zoológico em um ecoparque, pondo fim a uma tradição de mais de 140 anos.

Embora a mudança esteja alinhada a uma tendência mundial de zoológicos e aquários mais ecologicamente responsáveis, a transformação do Zoo de Buenos Aires é um caso inédito no mundo, já que será o primeiro zoológico em deixar de hospedar animais de forma permanente.

As espécies irão sendo transferidas a diferentes reservas ou santuários naturais, menos naqueles casos em que tirá-los do cativeiro representaria um sério risco de vida. O lugar também vai funcionar como uma clínica para atender animais vítimas do tráfico ilegal, ajudando a recuperá-los e liberá-los em seus hábitats naturais.

O ecoparque vai oferecer ao público atividades recreativas com a ajuda de elementos tecnológicos, buscando incentivar a conscientização ambiental. Também serão organizados encontros de ONGs e feiras de empreendedores que ofereçam soluções sustentáveis. A ideia é forjar a criação de um “corredor ecológico”, vinculando o antigo zoológico aos seus vizinhos Jardim Botânico e Bosques de Palermo (oficialmente denominado Parque 3 de Febrero), em um percurso integral voltado à biodiversidade.

Como funciona atualmente o novo ecoparque?

O Zoo de Buenos Aires permaneceu fechado por alguns dias após a estatização, mas em julho de 2016 reabriu suas portas como projeto “Ecoparque Interactivo de Buenos Aires“, já com menos animais em exibição. Também foram incorporadas diversas novidades que estarão no futuro ecoparque, como as experiências de realidade virtual. Atualmente abre de quarta a domingo, das 10h às 17h ou até esgotar o limite de 2.000 visitantes por dia. O valor do ingresso é de 245 pesos, sendo gratuito para menores de 12 anos inclusive, aposentados nacionais e pessoas com deficiências físicas.

Durante o período de transição, o valor arrecadado com as entradas será destinado em parte à restauração da estrutura arquitetônica e à alimentação dos bichos remanentes. A estimativa é que o processo completo de transformação será concluído em um prazo de seis anos.

O que aconteceu com os outros zoológicos de Buenos Aires?

É importante esclarecer que os outros zoológicos que ficam nas aforas de Buenos Aires, como o Temaikén ou o Zoo Luján, continuam funcionando normalmente. O Temaikén é famoso por exibir as espécies em amplos espaços abertos, dando a sensação de estarem soltos, enquanto o Zoo Luján permite um contato bem direto, incluindo entrar nas jaulas, tocar nos animais e tirar fotos.


Compartilhe!


O que você acha da transformação radical do Zoo de Buenos Aires? Já teve a oportunidade de visitar o novo ecoparque? Conte pra gente nos comentários!