Mi Buenos Aires Querido

Carlos Gardel

Carlos Gardel

Cantor, compositor e ator (1890-1935)

Carlos Gardel é o mais genuíno ícone do tango. Foi compositor, intérprete e ator de inúmeras canções e musicais. Com ele, o cadenciado ritmo portenho ganhou uma faceta mais romântica e deu volta ao mundo. Gardel foi um personagem emblemático em vida e sua trágica e prematura morte potenciou o mito, que atravessou vigorosamente todo o século. Ainda hoje continua sendo uma das personalidades mais queridas da Argentina. Seus seguidores costumam dizer que ele “canta cada dia melhor”.


Biografia

«Como é que eu vou cantar palavras que não entendo, frases que não sinto? Existe algo em mim que vibra ao som das palavras que são familiares, que estão profundamente arraigadas no mais íntimo do meu ser; palavras que aprendi em minha infância, que têm o significado de coisas muito nossas, impossíveis de transmitir. Meu idioma, senhores, é o espanhol… ou melhor ainda, o portenho. A pergunta “¿Me quieres?” não contém para mim a emoção que carrega a mesma pergunta portenha “¿Me querés?” Eu só sei cantar em criollo(À rádio americana NBC sobre a sugestão de cantar em espanhol neutro, 1934)

gardel_bio1Carlos Gardel nasceu Charles Romuald Gardes no dia 11 de dezembro de 1890, em Toulouse, França. Filho de pai desconhecido, chegou a Buenos Aires com sua mãe Berthe Gardes quando tinha apenas 2 anos. É interessante notar que sempre existiu controvérsia sobre esses dados já que outras teorias defendem que Gardel era uruguaio e que teria nascido alguns anos antes.

O certo é que passou grande parte de sua vida no bairro portenho do Abasto, o que lhe valeu o apelido de “El Morocho del Abasto” (“O Moreno do Abasto”). Teve uma infância pobre e desde cedo viveu de pequenos bicos.

Começou a cantar ainda muito jovem com o nome artístico de Carlos Gardel e em 1911 formou uma dupla de música folclórica com o cantor uruguaio José Razzano. O reconhecimento veio em 1914, quando passaram a se apresentar regularmente no prestigioso cabaré Armenonville, em Buenos Aires.

No ano de 1917, Gardel e Razzano se tornaram os primeiros intérpretes de tango com a canção “Mi noche triste”, já que na época o tango era somente instrumental. A partir de então, passaram a incluir esse ritmo em seu repertório. No mesmo ano, Gardel protagonizou seu primeiro filme, o mudo “Flor de durazno” (“Flor de pêssego”). Em 1923, se nacionalizou argentino, fazendo jus a outro de seus famosos apelidos: “El zorzal criollo” (algo assim como “sabiá das pampas”).

gardel_bio2No ano da separação da dupla, 1925, Gardel já era popular na Espanha e na França, mas 1927 foi o ano de sua consagração na Europa, alcançando enorme sucesso especialmente em Paris.

No começo da década de 1930 foi contratado pela cinematográfica Paramount, protagonizando quatro filmes rodados na cidade de Joinville, França. Em três deles contou com a colaboração do letrista Alfredo Le Pera.

Entre 1934 e 1935 conquistou o mercado dos Estados Unidos, onde gravou vários discos, cantou na mítica rádio NBC de Nova York e protagonizou cinco filmes musicais de grande sucesso para a Paramount americana, os quais estenderam ainda mais sua fama.

No dia 24 de junho de 1935, Gardel morre no auge da carreira em um desastre aéreo em Medellín, Colômbia, durante uma turnê latino-americana. Não se casou nem teve filhos, mas manteve um amor devocional por sua batalhadora mãe, a quem deixou toda sua herança.


Obra

discografia

Gardel realizou mais de 800 gravações nos seus cerca de 20 anos de carreira. Embora tenha composto a música de alguns de seus tangos (contando com parceiros como Alfredo Le Pera para a composição das letras), grande parte de seu repertório também se baseou na interpretação de tangos de outros compositores. Foram muitos os sucessos que emplacou, especialmente os dos últimos anos como “Mi Buenos Aires querido”, “Por una cabeza”, “Volver” e “El día que me quieras”.

Filmografia

Carlos Gardel participou de 11 filmes no total: dois gravados na Argentina, 4 nos estúdios da Paramount em Joinville, França, e 5 nos estúdios da Paramount em Nova York, EUA.


Homenagens a Gardel

NA Argentina

Gardel é um dos personagens mais queridos da cultura argentina, e por isso as referências à sua figura são muitas. Abaixo, algumas das principais:

Mausoléu no Cemitério da Chacarita (Av Guzmán 680, Chacarita, Buenos Aires) Os restos de Carlitos Gardel se encontram no cemitério de Chacarita, o maior da cidade. O mausoléu pode ser visitado, bem como a estátua do cantor que faz parte do conjunto. No monumento, Gardel foi imortalizado com paletó, um grande sorriso, mãe esquerda no bolso e mão direita dobrada na altura do abdômen, na qual os visitantes costumam depositar cigarros acesos.

Museu Casa Carlos Gardel (Jean Jaures 735, Abasto, Buenos Aires) O museu, que depende da prefeitura de Buenos Aires, está instalado na casa em que Gardel morou com sua mãe até 1933, dois anos antes de seu trágico acidente. Possui uma coleção de objetos pessoais do cantor e exemplos de sua obra.

Esquina Carlos Gardel (Carlos Gardel 3200, Abasto, Buenos Aires)  É uma das poucas tanguerias localizadas no tradicional bairro do Abasto, onde Gardel se criou. O espetáculo é um dos mais refinados e prestigiosos da cidade. [$$$]

Estátua no Abasto (Carlos Gardel e Anchorena, Abasto, Buenos Aires) Inaugurada em 2000, o monumento assinado pelo escultor Mariano Pagés fica em frente à casa de tango Esquina Carlos Gardel e ao lado do shopping Abasto de Buenos Aires.

Estação de metrô e murais  A parada da linha B do subte portenho que fica em frente ao Abasto leva o nome de Carlos Gardel. Além disso, existem cinco murais em sua homenagem, destacando-se um na técnica de fileteado portenho de León Untroib, no qual se lê “Eterno en el alma y en el tiempo”.

Mural em Palermo Chico (Av. Figueroa Alcorta quase esq. Tagle, Palermo Chico, Buenos Aires) Na lateral de um prédio do refinado bairro de Palermo Chico, ou Barrio Parque, existe um colorido mural pintado em 1989 pelo artista Carlos Páez Vilaró que tem em Gardel sua figura principal, incluindo em menor escala outros ícones da portenhidade.

Mural em Puente Pacífico (Av. del Libertador e Av. Dorrego, Palermo, Buenos Aires) Na região portenha conhecida como Puente Pacífico, próxima ao hipódromo de Palermo, o artista Alfredo Segatori pintou em 2016 um novo mural com o rosto de Gardel ao lado de cavalos de carreira, evocando o tango “Por una cabeza”.

NO EXTERIOR

Reforçando a controvérsia, a figura de Gardel está presente tanto na França como no Uruguai:

Casa e monumento a Gardel em Toulouse, França  A casa em que Gardel teria morado em seus primeiros anos de vida fica no endereço 4 rue du Canon d’Arcole, cidade francesa de Toulouse. Na fachada da casa foi inaugurada uma placa comemorativa e nos jardins localizados na frente da casa, um monumento. A casa em si não está aberta a visitação.

Pintura nos arcos do Capitólio de Toulouse, França  O edifício do Capitólio, um dos mais importantes de Toulouse, possui uma galeria externa na qual cada arco contém uma pintura do artista Raymond Moretti. No arco número 21 aparece a sorridente figura de Carlos Gardel.

Museu Carlos Gardel de Villa Edén, Uruguai  O museu fica na cidade de Villa Edén, próxima a Tacuarembó, onde teria nascido e morado o pequeno Carlos. Exibe vários documentos, além de artigos de jornais e declarações do próprio Gardel afirmando sua nacionalidade uruguaia.

INTERNACIONAL

Reconhecimento da UNESCO  Em setembro de 2003, a voz de Carlos Gardel foi registrada pela UNESCO em seu programa Memória do Mundo, dedicado à preservação de documentos patrimoniais.


Compartilhe!


Dúvidas?

Confira o nosso Fórum com perguntas e recomendações da comunidade Mi Buenos Aires Querido!