Mi Buenos Aires Querido

Quino (Mafalda)

Quino Mafalda

Cartunista (1932-)

Quino é o grande cartunista argentino, criador da querida personagem Mafalda e de muitos outros brilhantes quadrinhos de humor. Sua marca distintiva é a crítica social sagaz, inteligente e sempre atual, que há décadas vem encantando crianças e adultos mundo afora.


Biografia de Quino

«Não é necessário dizer tudo o que se pensa; o que sim é necessário é pensar tudo o que se diz.»

Quino por ele mesmoQuino nasceu como Joaquín Salvador Lavado no dia 17 de julho de 1932 na cidade de Mendoza, Argentina. Recebeu o apelido desde pequeno para diferenciá-lo de seu tio Joaquín Tejón, pintor e desenhista publicitário, com quem aos 3 anos descobriu sua vocação. Seus dois pais eram espanhóis de Andaluzia, mas ambos faleceram quando Quino ainda era criança. Após terminar a escola primária, o pequeno Joaquín decidiu inscrever-se na Escola de Belas Artes de Mendoza, a qual abandonaria anos depois para dedicar-se exclusivamente a desenhar quadrinhos.

Em 1954, com 18 anos, Quino instalou-se precariamente em Buenos Aires e perambulou pelas redações de todos os jornais e revistas em busca de emprego. A revista Esto Es foi a que finalmente publicou sua primeira página de humor gráfico. Em 1963, lançou seu primeiro livro, Mundo Quino, uma recompilação de quadrinhos humorísticos mudos.

Em 29 de setembro de 1964, Mafalda apareceu pela primeira vez na revista Primera Plana. A simpática personagem, originalmente criada para a publicidade nunca lançada de uma marca local de eletrodomésticos, terminou fazendo um enorme sucesso e até hoje continua sendo a história em quadrinhos latino-americana mais vendida do mundo. A partir de 1965, Mafalda começou a ser publicada no jornal El Mundo e posteriormente na revista Siete Días Ilustrados. Por decisão de Quino, a última tirinha da Mafalda foi impressa em 25 de junho de 1973.

Apesar de ter deixado de desenhar a Mafalda, continuou produzindo quadrinhos de humor, os quais foram compilados em diversos livros e publicados em uma grande quantidade de jornais e revistas da América Latina e da Europa.

Ao longo de sua carreira, Quino soube gerar uma enorme repercussão mundo afora, o que lhe rendeu uma grande quantidade de reconhecimentos internacionais. Em 2014, quando se completaram seus 60 anos no humor gráfico e os 50 anos de Mafalda, o cartunista foi galardoado pela França com a Ordem Oficial da Legião de Honra, a distinção mais importante do governo francês a estrangeiros, e pela Espanha com o não menos valioso Prêmio Príncipe de Astúrias de Comunicação e Humanidades.

Quino é casado desde 1960 com Alicia Colombo e não tiveram filhos. Em 1976, por conta de um golpe militar na Argentina, ambos se exiliaram na cidade italiana de Milão. Atualmente moram entre Madri e Buenos Aires. Infelizmente, desde 2009 Quino teve que enfrentar uma aposentadoria involuntária devido a problemas de visão.


Mafalda

Malfalda - Muda, Surda, Cega

«Já que amar-nos uns aos outros não dá certo, por que não tentamos amar-nos os outros aos uns?»

Mafalda é a personagem ícone de Quino e um verdadeiro fenômeno mundial até hoje, apesar de que suas histórias foram publicada apenas de 1964 a 1973. Através da aparentemente inocente garotinha de 6 anos, de sua família e de seus amigos Susanita, Manolito, Felipe, Miguelito e Libertad, o desenhista reflete sobre a política, a economia e a sociedade em geral, sempre com um toque de humor. A menina Mafalda ama os Beatles, a democracia, os direitos das crianças, a leitura, a paz e as panquecas. Odeia James Bond, as armas, a guerra e tomar sopa. E sonha com “consertar” o mundo.

Mafalda foi levada a mais de 30 países e virou garota-propaganda de diversas campanhas, cartões-postais e selos. Além disso, foi homenageada em dezenas de exposições na Argentina e no exterior. Sua vigência é um grande reconhecimento à qualidade do trabalho de Quino e ao carisma dos personagens que criou, e não deixa de ser também uma prova de que o mundo não mudou tanto desde então.

Mafalda - Crise (Português)

São várias as publicações de Mafalda em português do Brasil: os gibis “Mafalda” volumes 1 ao 11, o livro “Mafalda inédita”, o compilado de todas as tirinhas “Toda Mafalda”, entre outros. Em Portugal, o compilado foi lançado como “Toda a Mafalda” em comemoração aos seus 50 anos. Atualmente, os gibis da Mafalda também estão disponíveis em formato digital para leitura em e-book Kindle!

As historinhas da turma da Mafalda ganharam versão animada em duas oportunidades: em 1981/82 com um filme de 75 minutos produzido por Daniel Mallo (“Mafalda, la película” na Argentina ou “El mundo de Mafalda” na Espanha); e em 1993, com a produção de mais de cem episódios mudos de cerca de um minuto de duração, dirigidos pelo cubano Juan Padrón.

MAFALDA, O FILME (1981)


Outros quadrinhos de humor

Quino Mundo

Além de Mafalda, Quino também deu vida a centenas de personagens anônimos nos seus mais de 60 anos de trajetória. Sempre mantendo uma dose de humor ácido, satirizou os absurdos do mundo moderno, a burocracia e as instituições inúteis, a política e as relações de poder, a hipocrisia das pessoas, as desigualdades sociais, a degradação ambiental, o sexo e a vida conjugal, entre outros temas.

Vários de seus livros de humor foram publicados no Brasil: “Bem, obrigado, e você?” (1976), “Deixem-me inventar” (1983), “Quinoterapia” (1985), “Cada um no seu lugar” (1986), “Sim, amor” (1987), “Potentes, prepotentes e impotentes” (1989), “Humanos nascemos” (1991), “Não fui eu!” (1994), “Que gente má!” (1996), “Quanta bondade!” (1999) e “Que presente inapresentável!” (2005).

Em 1984, Quino cria com o diretor cubano Juan Padrón o “Quinoscopios”, uma série de curta metragens realizados a partir de seus desenhos e ideias.

CURTAS “Quinoscopios” (1984)


Homenagens a Quino

NA Argentina

Estátua da Mafalda e seus amigos em San Telmo (Chile esq. Defensa, San Telmo, Cidade de Buenos Aires) Mafalda está desde 2009 sentadinha e sorridente em um banco de praça. A escultura é do artista Pablo Irrgang e faz parte do denominado “Paseo de la Historieta“, um trajeto a céu aberto com esculturas dos personagens de quadrinhos argentinos mais conhecidos. Em 2014, foram adicionados ao lado de Mafalda dois de seus amigos, Susanita e Manolito.

Casa do Quino em San Telmo (Chile 371, San Telmo, Cidade de Buenos Aires)  A casa onde Quino viveu grande parte de sua vida e onde criou seus famosos personagens fica a poucos metros da estátua da Mafalda. Hoje existe no lugar uma placa recordatória. O armazém do Don Manolo também foi inspirado em uma padaria real do bairro, cuja construção não existe mais.

Museu do Humor (Av. de los Italianos 851, Puerto Madero, Cidade de Buenos Aires)  O museu foi inaugurado em 2012 em homenagem aos principais cartunistas argentinos. A obra de Quino tem destaque na coleção permanente sobre a história do humor gráfico local e em diversas exposições.

Mural da Mafalda no metrô  Uma famosa tirinha de Mafalda e seu globo terrestre, representada em um mural de cerâmica, ilustra o corredor que une as estações Perú da linha A e Catedral da linha D do subte de Buenos Aires.

Praça Mafalda (Conde 145, Colegiales, Cidade de Buenos Aires) Perto do Mercado das Pulgas portenho, esta praça simples criada em 1995 possui diversas ilustrações dos queridos personagens do Quino e de seus quadrinhos.

Mural em Godoy Cruz, Mendoza (Cidade de Godoy Gruz, província de Mendoza) Mendoza, a província argentina que viu Quino nascer, homenageou em 2012 os 80 anos de seu filho célebre com um mural multicolorido em uma parede da prefeitura da cidade de Godoy Cruz.

No Exterior

Rua Mafalda em Angoulême, França  A cidade francesa de Angoulême, onde se organiza anualmente o Festival Internacional de Quadrinhos (BD ou “bande dessinée“) possui desde 2012 uma ruela chamada “Passage Mafalda” no bairro “Ma Campagne”.

Estátua da Mafalda em Oviedo, Espanha  Em 2014, foi inaugurada no Campo de San Francisco da cidade espanhola de Oviedo, Principado de Astúrias, uma réplica da estátua portenha da Mafalda.


Compartilhe!


Dúvidas?

Confira o nosso Fórum com perguntas e recomendações da comunidade Mi Buenos Aires Querido!